Quinta-feira, 16 de Outubro de 2008

Seguros de Saúde

Quase dois milhões de portugueses têm um seguro de saúde, ou seja, quase 20% da população já aderiu a este sistema alternativo de cuidados. Um número que tem vindo a aumentar nos últimos anos. De 2005 até 2008, ou seja em 3 anos, mais 300 mil pessoas optaram por uma alternativa ao Serviço Nacional de Saúde.

 

Mas será que aquilo que os seguros têm para oferecer compensa? Quer subscrever um seguro de saúde e não sabe qual é o mais indicado para si? O seu seguro de saúde está a dar-lhe dores de cabeça? Quais os cuidados a ter quando subscreve um plano de saúde privado? Estas e outras respostas serão encontradas no próximo programa d' A Cor do Dinheiro.

 

Alguns links úteis sobre Seguros de Saúde:

 

- Site do Instituto de Seguros de Portugal

- Site da DECO

- Página no SAPO sobre Seguros de Saúde

 

Caso Prático:

 

Fizemos uma ronda pelas principais companhias de seguros para perceber qual delas oferecia o seguro de saúde mais barato. Tivemos em conta como perfil dos segurados um casal com 35 anos e dois filhos: um com 8 anos e outro com 2. Os resultados aqui apresentados referem-se a um seguro que cubra no mínimo Hospitalização, Assistência Ambulatória, Parto e Estomatologia em 7 instituições, sendo que há seguradoras que dentro destas coberturas oferecem ainda mais alguns extras que fazem parte de pacotes completos de subscrição. Veja na tabela abaixo os resultados. 

 

 

 

 
publicado por acordodinheiro às 10:37
link do post | comentar | favorito
|
21 comentários:
De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:47
Sou uma jovem com 30 anos, vivo com o meu companheiro e estou a pensar em ter filhos. Quais seriam as coberturas indicadas se subscrevesse um seguro de saúde?


De acordodinheiro a 23 de Outubro de 2008 às 20:14
Não é possível determinar no abstracto quais as coberturas de saúde mais adequadas, porque isso depende do tipo de cuidados que quer assegurar, bem como das necessidades da sua família e até do dinheiro que está disponto a gastar com o seguro de saúde.

Depois de feita esta análise, deve fazer simulações em várias seguradoras para perceber qual a oferta que melhor se adequa ao seu caso concreto.



De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:47
Como é que funcionam as questões de parto e gravidez nos seguros de saúde?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:29
A cobertura de partos é muito procurada pelas mulheres portuguesas. Mas este tipo de assistência também está na lista dos mais caros. Normalmente, o que acontece é que a cobertura de partos está incluída em planos de saúde muito dispendiosos e que implicam outras coberturas como a interrupção voluntária da gravidez. Os honorários dos médicos e auxiliares, a sala de operações o internamento diário da mãe e do bebé e os medicamentos são também outras coberturas agregadas à de parto e que justificam os preços elevados.
As coberturas de parto aplicam-se tanto a cesarianas como a partos normais. O problema é que os partos por cesariana são muito mais dispendiosos do que os outros. Há seguradoras que distinguem os dois, atribuindo-lhes valores diferentes. Mas nem todas fazem isso.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:47
Acabei de me reformar, tenho 67 anos e estou a pensar em adquirir um seguro de saúde, mas não sei se neste momento isso me irá trazer mais benefícios do que desvantagens. Quais são neste momento as seguradoras mais fiáveis e baratas para subscrever um seguro de saúde?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:30
Nem todas as seguradoras aceitam fazer um seguro de saúde a pessoas com mais de 55 anos; ou, noutros caso, limitam o seguro até aos 60 ou 65 anos. Isto porque se considera que estes segurados têm um risco maior. Mas, a TRANQUILIDADE, por exemplo, viu aqui uma nova oportunidade de negócio e lançou um produto exclusivo para maiores de 55: o Sanos Sénior.
Neste seguro, o risco já está assumido à partida, no próprio custo do seguro e na configuração das coberturas. Este seguro permite duas modalidades: valor, cujo prémio anula é de 150 euros; e exclusivo, em que o prémio anual é de 300 euros.
Se o que pretende é garantir uma cobertura adequada das despesas de saúde em que previsivelmente vão incorrer, através de entidades que garantam a qualidade dos serviços prestados, a melhor escolha é a Opção Exclusivo, com a cobertura opcional de Check-up. Mas, se pretende assegurar eventuais futuras despesas de saúde, procura a Opção Valor.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:48
Sou casado e tenho dois filhos: de 7 e 4 anos. Tenho um seguro de saúde da Multicare.Gostaria de saber porque é que os meus filhos pagam valores diferentes de seguro?


De acordodinheiro a 10 de Novembro de 2008 às 15:44
Uma criança de 4 anos requer um tipo de cuidados diferente e mais dispendioso do que uma criança de 7 anos: os cuidados dentários são exemplo disso. Por isso, a seguradora vai cobrar mais por uma criança de 4 anos do que por uma com 7 anos.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:48
Quanto é que os seguros de saúde podem ser deduzidos no IRS?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:30
Pode deduzir-se 30% do valor do seguro (anualmente). Esta percentagem está limitada a 80 euros por pessoa, a que se somam 41 euros por cada dependente.
Deve guardar todas as facturas com as despesas de saúde, quer as tenha tido em locais convencionados ou não pela sua companhia.
Se o seu seguro permitir a opção de reembolso, pode apresentar as facturas das despesas de saúde que tiver fora da rede à sua companhia. Cabe depois à seguradora enviar o valor que não foi comparticipado para que possa deduzi-lo no IRS.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:49
Tive um problema com o meu seguro de saúde: devido a um problema de saúde tive de ser operada e agora a companhia de seguros diz-me que esta situação não está prevista na cobertura do seguro. O que posso fazer para solucionar este problema?


De acordodinheiro a 10 de Novembro de 2008 às 15:45
Nestes casos, não há muito a fazer além de ter a certeza de que os cuidados de que fez uso estão efectivamente excluídos do contracto do seguro. Cuidado, porque pode haver uma tentativa das companhias de o enganar. Neste caso, estando preso a um seguro de assistência, tem de ser atendido por clínicas da rede da sua companhia e precisa de uma pré-autorização da seguradora para fazer qualquer intervenção fora dessa rede. A seguradora vai ver se o seu contracto abrange essa modalidade e se o plafond a permite. Mas, se a intervenção que fez, não estiver incluída no seu contracto, vai ter mesmo de suportar as despesas.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:49
Quais são as diversas formas de pagamento em termos de seguros de saúde?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:31
Há várias modalidades de pagamento. O prémio do seguro é anual, mas pode também ser pago em prestações mensais, trimestrais ou semestrais, de acordo com o que for mais conveniente e prático para si.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:49
A parte da estomatologia está de facto muito desmerecida pelo Sistema Nacional de Saúde. Consideram vantajoso neste momento adquirir um seguro de saúde apenas para esta área específica?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:32
No caso dos serviços de estomatologia, os limites de comparticipação variam quase sempre entre os 150 e os 250 euros por ano. Estes são valores reduzidos se pensarmos que as consultas nos dentistas são caras e que, se for preciso usar aparelho, por exemplo, os custos disparam.
A COR DO DINHEIRO fez algumas simulações para saber mais sobre as ofertas se seguros de saúde específicos para estomatologia, ou seja, para os cuidados da boca e dos dentes.
ALLIANZ PORTUGAL
- 4 pessoas seguradas, sendo que 2 têm menos de 12 anos:
desconto de 5% por pessoa
prémio anual: 171,01€
- 4 pessoas seguradas:
desconto de 15% por pessoa
prémio anual: 306,02€
AXA PORTUGAL
Neste caso, o preço é único, são 90€ anuais por pessoa. Quanto aos descontos, se estiverem 2 pessoas seguradas é de 5%; se forem 4 é de 15%. (Todas as pessoas têm de fazer parte do mesmo agregado familiar).
LIBERTY SEGUROS
Não foi possível fazer uma simulação, mas de acordo com a informação do site, o valor anual para adultos é de 79.50€ e para filhos com menos de 8 anos é de 73.14€.


De acordodinheiro a 16 de Outubro de 2008 às 14:49
Quero subscrever um seguro de saúde mas quero ser eu a escolher os médicos onde vou, porque temo que a oferta das seguradoras não tenha tanta qualidade. Esta possibilidade está prevista em geral nos seguros de saúde e que desvantagens posso ter com esta hipótese?


De acordodinheiro a 21 de Outubro de 2008 às 11:32
Se quer escolher os seus médicos, a melhor opção para si é a de reembolso. Em Junho do ano passado, a DECO fez um estudo comparativo sobre seguros de saúde. De acordo com este estudo, na modalidade de reembolso, pode "escolher os médicos, hospitais e clínicas onde é assistido. Se mora longe dos grandes centros urbanos, onde o número de prestadores de serviços associados à rede de cuidados da seguradora é mais limitado, esta opção também é a adequada. O consumidor paga tudo do seu bolso, mas pode reaver 80% a 90%, se apresentar à companhia os recibos ou facturas comprovativos do que gastou."
A desvantagem deste tipo de seguros é que põe ser difícil adiantar o pagamento das despesas se estas forem demasiado elevadas (internamento e cirurgia, por exemplo), sobretudo se considerarmos que o reembolso pode demorar até 30 dias.


De Norberto Soares a 20 de Outubro de 2008 às 23:29
Boa noite.
A minha esposa tem o seguro de saude na MultiCare.
Ela está na fase final da gravidez estando o parto previsto para Novembro.
Ela pode recorrer a uma clinica privada que tenha acordo com seguradora?
Se sim, a taxa de internamento na ordem de 250 Euros cobrada pelas clinicas não estão cobertas pelo seguro porquê?
Obrigado-


De acordodinheiro a 10 de Novembro de 2008 às 15:46
Desde que a clínica privada que escolher tenha acordo com a sua seguradora, pode deduzir as despesas que tiver. A Multicare assegura 90% das despesas de parto, o que significa que os restantes 10% das despesas são suportadas pelo cliente. Acontece que estes 10% que a companhia não assegura podem ir de 250 euros, no mínimo, a um máximo de 500 euros, pelo que a taxa de 250 euros não se refere à taxa de internamento, mas sim ao total da despesa.


Comentar post

.A Cor do Dinheiro

.Patrocinadores

 

PT negocios

Coloque as suas dúvidas sobre os Temas da Semana através de:

E-mail: cordodinheiro@sapo.pt

 

.Produzido por

Photobucket

.Programa

 

A Cor do Dinheiro é um magazine semanal sobre Economia, que aborda assuntos sobre poupança e investimento. É transmitido todos os Domingos, às 23h na RTPN.

.Apresentador

 

Camilo Lourenço é o apresentador do programa A Cor do Dinheiro e tem já uma larga experiência na área da economia. Foi fundador do Diário Económico e director editorial da revista Exame. Desempenhou, também, funções como editor de economia na Rádio CMR e na Rádio Comercial, e foi comentador da SIC Noticias.
Actualmente, é colunista no Jornal de Negócios e no Record e comentador da RTP e da M80.


 

 

.Votação Semanal

.Facebook

.Arquivo Audiovisual do Programa

RTP Multimédia

.Arquivo do Blog

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.Links Úteis

DECO

 

Ministério da Economia

 

Ministério das Finanças

 

Banco de Portugal

 

Agência Financeira

 

Revista Exame

 

Jornal de Negócios

 

Diário Económico

 

Público

 

Bloomberg

 

Dossier Especial Financial Times

.Sugestão de Livro


 

 

 

Num momento em que valores como a Verdade, Humildade e Solidariedade se
encontram completamente arredados do modo como são, actualmente, governadas
as grandes empresas globais, é necessário lançar um alerta sobre a forma
pouco clara como muitos dos máximos responsáveis das grandes corporações as
têm dirigido. Este livro pretende dar a conhecer aos actuais e futuros gestores as
ferramentas para lidar com a actual crise de valores que prolifera nas
empresas globais. É preciso «humanizar» as empresas para que estas deixem de
procurar o êxito rápido a qualquer preço! Criar uma cultura de negócios mais
verdadeira, será o grande desafio para todos os futuros gestores deste
século.

De João Ermida, O Método dos Executivos do Futuro, Dom Quixote

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31