Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2011

Tendências do Franchising em 2011

Artigo de Pedro Santos, administrador da Onebiz:

 

O mercado de franchising é frequentemente caracterizado pelo desenvolvimento de novos sectores de actividade. Nos últimos anos, alguns sectores tiveram um crescimento exponencial, tais como a mediação imobiliária, consultoria financeira e compra e venda de ouro. Foram inúmeras as marcas de franchising que entraram nestes sectores, tendo-se verificado que apenas algumas conseguiram uma consolidação no mercado e aquelas que conseguiram menor quota ou inferior estrutura e organização, acabaram por não vingar no mercado em detrimento das líderes.

Para o ano 2011, identifico quatro sectores onde o franchising terá um forte desenvolvimento.

 

Uma primeira área de forte crescimento futuro, é a mediação de obras. O mercado imobiliário, apresenta excesso de oferta de imóveis e a construção de casas novas irá continuar a diminuir. Por outro lado, a requalificação urbana é uma necessidade imediata, validada pelos dados mais recentes do INE e da AECOPS, os quais demonstram uma elevada percentagem de edifícios a necessitarem de obras urgentes ou muito urgentes. Por outro lado, o sector das obras em casa e reparações encontra-se desorganizado, com baixos níveis de qualidade e de insatisfação dos clientes. É normalmente uma dor de cabeça, para todos aqueles que pensam fazer obras em casa, sem saberem a quem recorrer, aliado à expectativa de problemas de qualidade, prazos de entrega e acompanhamento da obra. Em função da necessidade de requalificação urbana e crescimento do mercado de arrendamento, surge assim com grande capacidade de expansão o sector da mediação de obras. O Franchisado neste negócio não é uma empresa de construção, sendo antes um profissional que selecciona a melhor empresa construtora ou reparadora ao melhor preço e faz o acompanhamento da obra. O cliente responsabiliza assim uma única entidade, a qual terá como obrigação obter o melhor preço e serviço. O franchisado é remunerado normalmente através de uma comissão paga pela empresa de construção protocolada.

 

O segundo sector que considero de crescimento futuro, são os serviços domésticos. Com a vida urbana actual, o tempo disponível das famílias é reduzido, existindo a necessidade de recurso a serviços de lavandarias, engomadorias, arranjos de roupa e calçado e empregadas de limpeza. É fundamental que a localização destas lojas, sejam de proximidade, funcionando quer em bairros residenciais, quer em centros comerciais.

Outro sector que continuará em franco desenvolvimento, e que não tem sido afectado pela crise, é o da estética, sobretudo os conceitos de serviços rápidos e “low cost”. Actualmente são já mais de vinte as marcas a operar no mercado e continuaremos a assistir à entrada de novos operadores, sendo previsível que ocorra uma concentração apenas em algumas marcas que obterão a maior quota de mercado. Verifica-se, neste sector, um aumento da procura destes serviços pelas mulheres e também em forte crescimento por parte do sexo masculino.

 

Por fim, outra área que considero ser uma tendência futura é o do apoio domiciliário a idosos. A população Portuguesa está a envelhecer, o que associado ao aumento do nível de vida e menor disponibilidade dos familiares para acompanharem os seus idosos, proporciona uma enorme oportunidade de mercado. É uma actividade de nicho de mercado, muito sensível ao lidar pessoas que necessitam de cuidados especiais e, por esse motivo, exige elevados níveis de qualidade e serviço.

 

Estas tendências serão abordadas e aprofundadas em seminário gratuito a organizar pelo grupo Onebiz em colaboração com a “Cor do Dinheiro”, no qual estará presente o Camilo Lourenço, no dia 28 de Janeiro em Lisboa dedicado ao franchising e empreendedorismo, com o lema “empreenda já!”.

publicado por acordodinheiro às 13:26
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Carla Cristina Teixeira a 15 de Dezembro de 2011 às 13:49
Boa tarde, gostava de saber onde e a que horas se vai realizar o seminário dedicado ao franchising e empreendedorismo que se realiza no dia 28 de janeiro em lisboa.

Atentamente

Carla Teixeira


Comentar post

.A Cor do Dinheiro

.Patrocinadores

 

PT negocios

Coloque as suas dúvidas sobre os Temas da Semana através de:

E-mail: cordodinheiro@sapo.pt

 

.Produzido por

Photobucket

.Programa

 

A Cor do Dinheiro é um magazine semanal sobre Economia, que aborda assuntos sobre poupança e investimento. É transmitido todos os Domingos, às 23h na RTPN.

.Apresentador

 

Camilo Lourenço é o apresentador do programa A Cor do Dinheiro e tem já uma larga experiência na área da economia. Foi fundador do Diário Económico e director editorial da revista Exame. Desempenhou, também, funções como editor de economia na Rádio CMR e na Rádio Comercial, e foi comentador da SIC Noticias.
Actualmente, é colunista no Jornal de Negócios e no Record e comentador da RTP e da M80.


 

 

.Votação Semanal

.Facebook

.Arquivo Audiovisual do Programa

RTP Multimédia

.Arquivo do Blog

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.Links Úteis

DECO

 

Ministério da Economia

 

Ministério das Finanças

 

Banco de Portugal

 

Agência Financeira

 

Revista Exame

 

Jornal de Negócios

 

Diário Económico

 

Público

 

Bloomberg

 

Dossier Especial Financial Times

.Sugestão de Livro


 

 

 

Num momento em que valores como a Verdade, Humildade e Solidariedade se
encontram completamente arredados do modo como são, actualmente, governadas
as grandes empresas globais, é necessário lançar um alerta sobre a forma
pouco clara como muitos dos máximos responsáveis das grandes corporações as
têm dirigido. Este livro pretende dar a conhecer aos actuais e futuros gestores as
ferramentas para lidar com a actual crise de valores que prolifera nas
empresas globais. É preciso «humanizar» as empresas para que estas deixem de
procurar o êxito rápido a qualquer preço! Criar uma cultura de negócios mais
verdadeira, será o grande desafio para todos os futuros gestores deste
século.

De João Ermida, O Método dos Executivos do Futuro, Dom Quixote

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31