Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Preparar IRS 2009

É já na próxima segunda-feira, dia 2 de Fevereiro, que começa a entrega em papel do IRS referente ao ano de 2008. Por isso mesmo, A Cor do Dinheiro dedica mais um programa a dar-lhe algumas dicas práticas de como pode preencher os impressos e que tipo de despesas pode incluir na sua factura fiscal.

Mas, fundamentalmente, aproveitamos o mote para o ajudar a preparar o IRS do próximo ano: que tipo de deduções à colecta podem ser feitas, quais as despesas que pode incluir e como pode gerir a sua factura fiscal em tempos de crise como a que enfrentamos actualmente. Venha esclarecer as suas dúvidas com as nossas reportagens, dicas e especialistas.  

 

Consulte mais informações sobre IRS nos seguintes sitios da Internet:

- Site das Finanças

- Site da Direcção Geral de Impostos

publicado por acordodinheiro às 18:11
link do post | comentar | favorito
|
31 comentários:
De acordodinheiro a 28 de Janeiro de 2009 às 18:39
Que documentos preciso para preencher a declaração de IRS?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:53
Vai precisar dos impressos oficiais da declaração de IRS (caso optar por não usar a Internet), cartões de contribuinte dos sujeitos passivos e dos dependentes, se estes também tiverem obtido rendimentos, das declarações de rendimentos e retenções na fonte emitidas pelas entidades pagadoras, e dos documentos comprovativos (recibos, facturas, declarações dos bancos e seguradoras, por exemplo) dos encargos que teve ao longo do ano, como as despesas de saúde ou de educação.


De acordodinheiro a 28 de Janeiro de 2009 às 20:06
Tenho de guardar todos os recibos das despesas que fizer?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:54
Sim. Convém guardar todos os recibos das despesas que efectuar ao longo do ano, porque só desta forma pode comprovar os seus gastos, em caso de inspecção fiscal.


De acordodinheiro a 28 de Janeiro de 2009 às 20:44
Que tipo de rendimentos estão excluídos de imposto?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:54
Os prémios literários, artísticos ou científicos estão isentos de imposto desde que sejam atribuídos em concurso público, no qual se definam as respectivas condições de atribuição; a participação nesse concurso não esteja subordinada a condições senão as que se relacionem com a natureza do próprio prémio em causa (por exemplo, ajudas de custo ou gratificações); e não envolvam a cedência, temporária ou definitiva, de direitos de autor.
Também as indemnizações atribuídas devido a lesão corporal (por exemplo, após acidentes de viação), doença ou morte ao abrigo de contratos de seguro ou decisões judiciais ou pagas pelo Estado; as bolsas e prémios atribuídos aos praticantes de alta competição e seus treinadores; as bolsas de formação desportiva atribuídas pelas federações aos praticantes não profissionais, bem como aos juízes e árbitros até ao limite de 2130 euros estão isentas de pagamento de imposto, além dos subsídios atribuídos a crianças e a jovens (por exemplo, o abono de família), o subsídio de desemprego e o rendimento social de inserção.


De acordodinheiro a 28 de Janeiro de 2009 às 22:24
Casei-me em Dezembro de 2008. Tenho de avisar a minha entidade patronal?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:54
Sim. Quando ocorre uma alteração no agregado familiar, deve comunicá-la à entidade patronal, para se aplicar a taxa correcta de retenção na fonte. Assim, e sempre que, por motivo imputável ao trabalhador, não entre nos cofres do Estado o imposto devido (relativo à retenção), o contribuinte pode ser prejudicado, tendo de pagar mais imposto ou recebendo um reembolso inferior, no ano seguinte.


De acordodinheiro a 29 de Janeiro de 2009 às 12:01
Devo declarar o início de actividade como independente?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:55
O procedimento depende da sua situação específica. Assim, se a prestação de serviços a realizar é um acto esporádico e não pretender continuar a prática desse serviço, terá de declarar o início de actividade e cumprir as obrigações declarativas e de registo dos profissionais independentes mesmo se passa se se tratar de um acto único, se já o tiver feito antes e se se tratar de uma prática continua. Caso nunca tenha passado um acto único e a actividade exercida não seja contínua, opte por passar um acto único em vez declarar o início da actividade.


De J.C. a 10 de Março de 2009 às 16:10
Boa tarde.
Eu ando desesperado à procura das tabelas de IRS para 2009 que se aplicam aos trabalhadores independentes.
Alguém me pode dar um link directo para esses documentos.
As únicas tabelas que encontro dizem respeito a trabalhadores por conta de outrem.
Também, onde posso encontrar informação que me permita comparar o regime de trabalhador independente com o regime aplicado às empresas?
Já procurei no sítio da dgci e e-financas e não encontro nada...
Muito obrigado.
Jorge C.


De Catia Saraiva a 22 de Abril de 2009 às 14:05
serao os codigos CAE? o melhor é usa o google


De acordodinheiro a 29 de Janeiro de 2009 às 13:54
Os prazos de entrega da declaração de IRS deste ano já estão fixados?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:55
Sim. Para as entregas em papel, as datas limite são:
- De 1 de Fevereiro a 16 de Março, caso apenas tenham sido auferidos rendimentos do trabalho dependente ou pensões (1ª Fase).
- De 16 de Março a 30 de Abril, sempre que tenham sido obtidos rendimentos de outra(s) natureza(s) (2ª Fase).
Se pretender entregar a declaração via Internet os prazos são :
- De 10 de Março a 15 de Abril, caso apenas tenham sido auferidos rendimentos do trabalho dependente ou pensões (1ª Fase).
- De 16 de Abril a 25 de Maio, sempre que tenham sido obtidos rendimentos de outra(s) natureza(s) (2ª Fase).


De Paulo a 24 de Março de 2009 às 15:01
Sobre uma dúvida que surgiu no programa - porque são diferentes os prazos de entrega da declaração em papel e electrónica:
- os meus colegas da contabilidade andaram ali às voltas para entregar um tal de Declaração Mod.10 às finanças (aparentemente, um resumo global de todos os rendimentos dos funcionários).

Será que as finanças só podem ter a informação para pré-preencher as declarações no site depois destes ficheiros serem carregados/tratados? (vá, digo eu ...)


De acordodinheiro a 29 de Janeiro de 2009 às 16:00
Para que servem as retenções na fonte feitas sobre os meus rendimentos de trabalho por conta de outrem? São obrigatórias ou opcionais?


De acordodinheiro a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:56
Em regra, as retenções na fonte são pagamentos mensais por conta de imposto. As entidades que pagam rendimentos da categoria A devem descontar uma certa importância, quando os colocam à disposição do trabalhador. Posteriormente, essa importância é entregue ao Estado e no momento de cálculo do imposto, o valor da retenção é subtraído ao imposto encontrado.
As retenções na fonte sobre os rendimentos da categoria A são obrigatórias. Quando, em 2009, o fisco apurar o imposto a pagar, as importâncias retidas em 2008 serão descontadas à colecta, verificando-se, assim, se tem de suportar mais imposto ou se haverá reembolso.


De Pedro Sousa a 29 de Janeiro de 2009 às 22:38
Parabens, Excelente Programa continuem o optimo trabalho


De Luís Miguel Sousa a 3 de Fevereiro de 2009 às 00:36
Boa Noite,
Antes de mais gostaria de dar os parabéns ao vosso programa e à sua grande utilidade.
Tenho uma grande duvida relativamente ao IRS que gostaria de saber se a poderiam esclarecer.
Temos dois imóveis, que são os imóveis de solteiros (meu e da minha esposa), que ainda estamos a pagar à banca, e além desses o imóvel habitamos.
Esses dois imóveis, como não conseguíamos vender nem suportar os seus custos, fizemos a opção de arrendar. Essas rendas são declaradas às finanças e entram como rendimento adicional do agregado, mas esse rendimento adicional é “fictício” pois estamos a pagar os imóveis à banca conforme já referido anteriormente, além de que o valor recebido pelas rendas não cobre sequer o valor das prestações que pagamos.
Gostaria de saber se existe alguma hipótese de conseguir deduzir no IRS as prestações pagas à banca desses dois imóveis, pois através da situação normal de benefícios fiscais de habitação esse valor já é consumido pelo imóvel que habitamos.

Grato desde já pela atenção dispensada.


De Paulo a 3 de Fevereiro de 2009 às 12:59
Parabéns pelo programa.
Sempre vi e escutei com atenção as opiniões do Sr. Camilo Lourenço na RTPN, nomeadamente as ligadas ao futebol e às finanças dos clubes.
Tem um discurso simples e de fácil entendimento sobre assuntos que são, na maioria das vezes, complicados.
Vi ontem o programa relativo ao IRS e achei-o bastante útil.
Vou passar a acompanhar o programa e este blog.
Obrigado.


Comentar post

.A Cor do Dinheiro

.Patrocinadores

 

PT negocios

Coloque as suas dúvidas sobre os Temas da Semana através de:

E-mail: cordodinheiro@sapo.pt

 

.Produzido por

Photobucket

.Programa

 

A Cor do Dinheiro é um magazine semanal sobre Economia, que aborda assuntos sobre poupança e investimento. É transmitido todos os Domingos, às 23h na RTPN.

.Apresentador

 

Camilo Lourenço é o apresentador do programa A Cor do Dinheiro e tem já uma larga experiência na área da economia. Foi fundador do Diário Económico e director editorial da revista Exame. Desempenhou, também, funções como editor de economia na Rádio CMR e na Rádio Comercial, e foi comentador da SIC Noticias.
Actualmente, é colunista no Jornal de Negócios e no Record e comentador da RTP e da M80.


 

 

.Votação Semanal

.Facebook

.Arquivo Audiovisual do Programa

RTP Multimédia

.Arquivo do Blog

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.Links Úteis

DECO

 

Ministério da Economia

 

Ministério das Finanças

 

Banco de Portugal

 

Agência Financeira

 

Revista Exame

 

Jornal de Negócios

 

Diário Económico

 

Público

 

Bloomberg

 

Dossier Especial Financial Times

.Sugestão de Livro


 

 

 

Num momento em que valores como a Verdade, Humildade e Solidariedade se
encontram completamente arredados do modo como são, actualmente, governadas
as grandes empresas globais, é necessário lançar um alerta sobre a forma
pouco clara como muitos dos máximos responsáveis das grandes corporações as
têm dirigido. Este livro pretende dar a conhecer aos actuais e futuros gestores as
ferramentas para lidar com a actual crise de valores que prolifera nas
empresas globais. É preciso «humanizar» as empresas para que estas deixem de
procurar o êxito rápido a qualquer preço! Criar uma cultura de negócios mais
verdadeira, será o grande desafio para todos os futuros gestores deste
século.

De João Ermida, O Método dos Executivos do Futuro, Dom Quixote

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31