Terça-feira, 31 de Março de 2009

Aplicações Seguras

 Com a Euribor a manter a tendência descendente dos últimos cinco meses, A Cor do Dinheiro dedica o próximo programa a aplicações de capital garantido. Entre eles estão os tradicionais depósitos a prazo, que são o produto mais comum entre os investidores. Segundo os dados da Marktest, cerca de 3 milhões de portugueses subscreveram esta aplicação financeira. São produtos sem risco, com capital garantido até 100 mil euros, têm flexibilidade de movimentação de capital e capitalização de juros. Outro instrumento seguro são os certificados de aforro, criados pelo Estado para atrair as poupanças dos pequenos investidores, e por isso, em tempos de crise, são uma aplicação financeira segura, de risco praticamente nulo.

Paralelamente a este tipo de aplicações, que outro tipo de produtos existem? Quais têm capital garantido? Quais os mais vantajosos? Como escolher as melhores taxas e como têm evoluído nos últimos meses?
Estas e outras respostas no próximo programa d’A Cor do Dinheiro.
João Ermida fará, como é habitual, a análise da Empresa da Semana, a Brisa.
Em estúdio, Camilo Lourenço entrevista Carlos Gonçalves, Coordenador de marketing de particulares no Banco Popular e
Tiago Geraldes, Director de Investimentos do Barclays.
O Investidor Privado desta semana é Carlos Melo Ribeiro, presidente da Siemens.
 
Saiba mais:
 
Site de informação de Depósitos a Prazo
 
Site do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (entidade que gere os Certificados de Aforro)
 
Site da Sefin

Site da Deco Proteste
publicado por acordodinheiro às 17:38
link do post | comentar | favorito
|
28 comentários:
De Ana Margarida Rato a 1 de Abril de 2009 às 14:44
Que outras aplicações financeiras existem com capital garantido?


De João Santos a 6 de Abril de 2009 às 13:53
Não deposite em bancos portugueses. Veja o meu caso, contrariamente ao que diz o sr, Camilo Lourenço eu tinha um deposito no BPP com taxa de jogador de casino 4,8% ( santa ignorancia ) e agora não tenho nada..

Não confie, nem no sr Camilo, tenha cuidado com os interesses até dos jornalistas.

Sabe do que eu estou a falar não sabe sr, Camilo???

Cump
João Santos


De carlos vaz a 6 de Abril de 2009 às 18:53
Estes Sr. só fala de Bancos, bancos e mais bancos porque será Sr. Camilo porque não fala dos seguros de capitalização de seguradoras?
Já sei é porque tem históricos de rentabilidade de 4% pois é pensava que era só no banco.


De António a 13 de Abril de 2009 às 21:42
Como é que posso abrir uma conta online na Alemanha?


De Sara Barbosa a 1 de Abril de 2009 às 15:49
Tenho 5 mil euros para investir mas não quero correr muitos riscos. Devo escolher um depósito a prazo ou um certificado de aforro?


De rui a 6 de Abril de 2009 às 21:57
Pode sempre abrir conta no BPP. O banco agradece e nós também LOL.


De acordodinheiro a 9 de Abril de 2009 às 15:20
De acordo com as simulações do Jornal de Negócios (6 de Março), os certificados de aforro (com as novas regras de regulação da série C) permitem uma maior rentabilidade do que os depósitos a prazo. O retorno do depósito a prazo da Caixa Geral de Depósitos, um dos poucos depósitos de longo prazo comercializados pelos principais bancos a operar em Portugal, proporciona um rendimento inferior aos certificados. À luz da nova legislação da série C, um investimento de 5 mil euros em certificados de aforro, num prazo de 5 anos, garantem um retorno líquido de 543 euros (5.43 euros no total), enquanto um depósito do mesmo montante, gera 343 euros de retorno líquido ao fim do quinto ano (5.343 euros no total).


De André Azevedo a 1 de Abril de 2009 às 16:02
Quero subscrever um depósito a prazo mas não sei se compensa mais o médio ou o longo prazos? Qual é o mais vantajosos neste momento?


De acordodinheiro a 9 de Abril de 2009 às 15:20
Para se proteger da queda dos juros, deve optar por aplicações com um prazo mínimo de um ano, podendo estendê-lo até aos dois anos. Depósitos a um prazo superior poderão não compensar, tendo em conta que as perspectivas apontam para a retoma da economia e, consequentemente, para um regresso das taxas de juro elevadas.


De Luis Martins a 1 de Abril de 2009 às 17:42
Quero fazer um depósito a um ano. Até quanto posso ganhar em média com um depósito para este prazo?


De acordodinheiro a 9 de Abril de 2009 às 15:21
O Jornal de Negócios analisou as ofertas de vários bancos a operar em Portugal. Nas aplicações a um ano, foram analisados 13 produtos, tendo sido a taxa média anual de 2,676%. Ou seja, um depósito a um ano de 5 mil euros terá um retorno médio de 133,80 euros. O Privat Bank é o banco com a opção mais vantajosa, com um juro líquido anual de 5,74%, o que significa uma mais-valia de 288 euros. O Finibanco tem a segunda melhor oferta, com uma taxa de 3,89%, o que significa uma mais-valia de 194,33 euros.


De acordodinheiro a 1 de Abril de 2009 às 17:50
E a dois anos? Qual é a melhor opção?


De acordodinheiro a 9 de Abril de 2009 às 15:22
O Finibanco tem a oferta mais vantajosa, com uma taxa de 2,48%: um investimento de 5 mil euros aplicados a dois anos terá uma mais-valia de 257,70 euros. Também o banco BiG tem uma boa oferta, com uma taxa de 2,36%: o mesmo investimento teria um retorno de 236,12 euros.


De Hugo Alberto a 1 de Abril de 2009 às 18:35
Qual é o depósito a prazo mais atractivo neste momento?


De rui a 6 de Abril de 2009 às 22:03
Cuidado. Tem que ter muito cuidado.Se lhe oferecerem mais uns pósinhos e segundo o que diz a Drª Fátima Ferreira do prós e compras tem de desconfiar logo do banco.Dinheiro em bancos portugueses nunca mais, só se for em cofres bancários.


De acordodinheiro a 9 de Abril de 2009 às 15:22
O Privat Bank é o banco com a opção mais vantajosa, com um juro líquido anual de 5,74%, o que significa uma mais-valia de 288 euros. Também o “Depósito Crescente 6%” do Finibanco e o “DP Interactivo” do BPN estão no ranking das melhores ofertas. O “Super Depósito Banif@st”, do Banif, apresenta a mesma rentabilidade do produto do BPN, com um retorno líquido de 150 euros, superando a rendibilidade dos certificados de aforro.


De josé alberto pedrosa a 6 de Abril de 2009 às 22:19
Pretende investir num produto financeiro de alto rendimento TANB 6%?I
Basta invistir pelo menos 1.000 Euros no BES no próximo dia 8/4/2009. (Consulte o Besnet).
Não é só o BPP que paga taxa de juro elevedas olhem para o BES.
O BES também é um banco de ricos ou um casino? Então o portugueses são todos ricos e podem jogar nos casinos.


De Maria Isabel Rodrigues a 6 de Abril de 2009 às 22:53
O Sr. Camilo Lourenço não faz ideia do que está a falar quando tece comentários relativamente aos clientes de Retorno Absoluto do BPP. Se quiser saber detalhes estou á sua inteira disposição, faculto-lhe documentos, extratos, acesso pleno a todos os documentos que tenho na minha posse. Agora por favor não se volte a pronunciar daquilo que não parece saber É que descrediiibilza-o perante o leitor


De António Duarte a 7 de Abril de 2009 às 01:48
Uma boa referência para qualquer investidor de baixo risco é a consulta do site www.moneygps.pt

Cumprimentos.
António Duarte


De Bruno a 7 de Abril de 2009 às 09:20
Mas aonde é que se fala aqui do BPP? Meus caros senhores, deixem de infantilidades e vão fazer comentários onde se fala do BPP.

Isto é sobre o programa e o assunto do programa, aplicações seguras. Não é sobre como fazer aplicações e não ler o contrato. Não é sobre como ser credor de uma empresa em falência e exigir que o contribuinte pague a factura.

Foram aldrabados? Crescam e façam queixa na justiça em vez de andar aqui a encher isto de comentários saídos da vossa infantilidade.

Se têm alguma coisa contra algum comentário efectuado fora do âmbito aqui, sejam minimamente crescidos e vão comentar nesse local.


De M. F. a 8 de Abril de 2009 às 02:02
Exmo. Sr. Bruno:
Se o Senhor tivesse depositado as poupanças da sua vida numa instituição, designada de Banco (e não numa qualquer organização de vão de escada, tipo D. Branca, com promessas de juros usurários), com o objectivo de lhe ser pago um rendimento / juro idêntico aos seus congéneres, e ver-se, há mais de cinco meses, sem acesso, quer a capital, quer a juros, e sujeito à caridade de amigos e família para sobreviver, por certo compreenderia melhor as mensagens que impiedosamente rotula de infantis.


De Augusto Bastos a 21 de Julho de 2009 às 00:05
Desculpe lá...mas nem uma criança mete as poupanças de uma vida num banco que nem sequer é um banco com credibilidade e dimensão nacional. Isso não é infantil é mesmo inociência pré-natal.


Comentar post

.A Cor do Dinheiro

.Patrocinadores

 

PT negocios

Coloque as suas dúvidas sobre os Temas da Semana através de:

E-mail: cordodinheiro@sapo.pt

 

.Produzido por

Photobucket

.Programa

 

A Cor do Dinheiro é um magazine semanal sobre Economia, que aborda assuntos sobre poupança e investimento. É transmitido todos os Domingos, às 23h na RTPN.

.Apresentador

 

Camilo Lourenço é o apresentador do programa A Cor do Dinheiro e tem já uma larga experiência na área da economia. Foi fundador do Diário Económico e director editorial da revista Exame. Desempenhou, também, funções como editor de economia na Rádio CMR e na Rádio Comercial, e foi comentador da SIC Noticias.
Actualmente, é colunista no Jornal de Negócios e no Record e comentador da RTP e da M80.


 

 

.Votação Semanal

.Facebook

.Arquivo Audiovisual do Programa

RTP Multimédia

.Arquivo do Blog

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

.Links Úteis

DECO

 

Ministério da Economia

 

Ministério das Finanças

 

Banco de Portugal

 

Agência Financeira

 

Revista Exame

 

Jornal de Negócios

 

Diário Económico

 

Público

 

Bloomberg

 

Dossier Especial Financial Times

.Sugestão de Livro


 

 

 

Num momento em que valores como a Verdade, Humildade e Solidariedade se
encontram completamente arredados do modo como são, actualmente, governadas
as grandes empresas globais, é necessário lançar um alerta sobre a forma
pouco clara como muitos dos máximos responsáveis das grandes corporações as
têm dirigido. Este livro pretende dar a conhecer aos actuais e futuros gestores as
ferramentas para lidar com a actual crise de valores que prolifera nas
empresas globais. É preciso «humanizar» as empresas para que estas deixem de
procurar o êxito rápido a qualquer preço! Criar uma cultura de negócios mais
verdadeira, será o grande desafio para todos os futuros gestores deste
século.

De João Ermida, O Método dos Executivos do Futuro, Dom Quixote

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31